domingo, 12 de março de 2017

noite de noites frias

relva de eira entre prédios
passos de cão
silêncio de pé torto
queda de sombra e candeeiro

sobra madrugadas
dias de vento com facas
as noites frias como danças roucas
murmuravam as horas

cantam os carros na avenida

Sem comentários:

Enviar um comentário